.:GESE:.: Agentes Penitenciários de MT entrarão em greve.

Adicionado 13/07/2012

sexta-feira, 29 de março de 2013

Agentes Penitenciários de MT entrarão em greve.

A paralisação foi aprovada em assembleia geral promovida pelo Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindespen-MT). No ano passado, o governo prometeu regularizar a situação dos trabalhadores, mas não atendeu as 3 principais reivindicações da categoria: aumento salarial, ampliação do efetivo e pagamento adicional por insalubridade.


Este é o segundo anúncio de greve da categoria em 7 meses. Em agosto de 2012, os agentes prisionais votaram pela paralisação das atividades, mas voltaram atrás depois de serem chamados para uma conversa com o governo. Conforme o presidente do sindicato, João Batista Pereira de Souza, o atual movimento é uma resposta dos servidores ao poder público.


“Quando o governo promete, ele deve cumprir. Como isso não ocorreu, vamos parar”. O sindicato vai protocolar o anúncio de greve na segunda-feira (1) e terá que aguardar prazo de 72 horas para paralisar as atividades, iniciando efetivamente o movimento no dia 4.



João Batista aponta que os casos de doenças dentro do presídio são cada vez mais frequentes. Mesmo com a aprovação da lei que obriga o pagamento do adicional de insalubridade desde julho, a categoria nunca viu este dinheiro.


Aponta que as unidades prisionais estão sendo tomadas pela tuberculose e nenhuma providência é tomada. Cita como exemplo a situação de Vila Bela da Santíssima Trindade e de Pontes e Lacerda. Na primeira cidade, recentemente, foram diagnosticados 15 casos da doença, sendo que 2 pacientes são agentes prisionais. São diagnosticados ainda casos de hanseníase, doença de pele, HIV, entre outras. Batista explica que o adicional pode ser pago entre 10% e 40%, de acordo com o local de trabalho.


Para o agente prisional Antenor Vilela Velasco, 34, é lamentável a categoria ter que lutar por algum tipo de indenização por desempenhar o trabalho em local tão impróprio. “Na verdade, o que o governo deveria fazer é garantir um lugar adequado e saudá- vel. Isso seria muito mais relevante que pagar insalubridade, mas sabemos que não acontecerá”.


Há 9 anos atuando no sistema prisional, Antenor conta que já contraiu doença de pele e foi feito refém em 2011, durante o motim que resultou na morte do colega de profissão Wesley da Silva Santos, 24. Na ocasião, ele foi atingido por um tiro de borracha na cabeça e sobreviveu. Wesley foi baleado no tórax.


Mais pedidos - Batista diz que a categoria pleiteia reajuste de salário de 20%, a 2012, além de majoração de 25% para este ano e 30% para 2014. O salário inicial dos servidores é R$ 1,8 mil.


Aponta ainda que são necessários pelo menos mais 400 agentes para atuação a contento dentro dos presídios.


Referente ao último concurso, existem 15 servidores aprovados e outros 600 classificados. O interesse é que chamem essas pessoas para ocupação dos cargos, imediatamente. Hoje, o sistema possui 2,2 mil servidores, sendo 1.980 agentes prisionais.

Outro lado


Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria de Justiça de Direitos Humanos (Sejudh) afirma que tenta viabilizar os pedidos do Sindespen-MT, principalmente o pagamento por insalubridade. Caso a categoria insista na greve, a segurança dos presídios seguirá um plano integrado montado em parceria com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

...eis que o seu galardão vem com ele , e o seu salário diante da sua face . ISAIAS  40/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário