.:GESE:.: VASSOURAS FEITAS DE GARRAFAS PET POR PRESIDIARIOS E O NOVO PROJETO DE RESSOCIALIZAÇÃO

Adicionado 13/07/2012

sábado, 27 de outubro de 2012

VASSOURAS FEITAS DE GARRAFAS PET POR PRESIDIARIOS E O NOVO PROJETO DE RESSOCIALIZAÇÃO

Juiz desenvolve projeto de ressocialização de presos e preservação do meio ambiente em Guarabira
Detentos - GbaUma ideia audaciosa e de grande importância social vêm sendo desenvolvida na Cidade de Guarabira pelo juiz da 1ª Vara da cidade, Bruno Azevedo. Trata-se da Fundação Passos à Liberdade que foi idealizada e criada em janeiro desse ano pelo magistrado. A Fundação, que tem como principais objetivos ressocializar os apenados, recuperar dependentes químicos e desenvolver projetos para a preservação do meio ambiente, tem abrangência para toda a Paraíba, mas por enquanto está funcionando apenas em Guarabira, no Brejo Paraibano.
Pela Fundação, 88 apenados do presídio de Guarabira estão trabalhando em duas fábricas, uma para a produção de vassouras e outra para confecção de sacolas ecológicas (retornáveis). A associação também tem um canteiro de mudas de sombreiros e árvores frutíferas. “O nosso objetivo maior além da ressocialização dos presos é também preservar o meio ambiente”, explico o juiz.
Bruno Azevedo afirmou que as vassouras são produzidas com garrafas pet e todos dos meses 16 mil garrafas dessas são retiradas do lixo. “Com essa ação nós estamos, além de ressocializando o apenado dando a nossa contribuição para a preservação do meio ambiente e evitando que essas garrafas fiquem nas ruas e obstruam as galerias pluviais, causando outro problema a exemplo das inundações”, comentou o juiz.
Ele explicou que as cerca de 1,1 mil vassouras produzidas mensalmente e a sacolas são vendidas no comércio da região e o dinheiro arrecadado é empregado na manutenção da Associação e no pagamento de numa ajuda de custo aos próprios detentos. Além do mais a cada três dias trabalhados, os apenados têm um dia a menos na pena. O juiz explicou que existe a intenção do Governo do Estado em adquirir todos os produtos confeccionados pelos presos.
De acordo com a magistrado um outro grande objetivo desse projeto é fazer com que o apenado aprenda um ofício e ao ganhar a liberdade sai com uma profissão definida e assim possa ser absolvido pela mercado de trabalho. O juiz faz questão de destacar que é apenas mais um voluntário e que a Associação é uma entidade jurídica e de direito privado. “Fiz questão de agir assim para tirar esse caráter pessoal para que quando eu deixar a comarca outro magistrado possa dar continuidade ao trabalho”, justificou Bruno Azevedo.
.. E DA OBRA DAS SUAS MAOS O HOMEM RECEBERA RECOMPENSA   PROVERBIOS 12/14

Um comentário:

  1. Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens , e falando daquilo que Deus tem feito em sua vida, que a graça e a paz de Jesus continue a ser derramada em sua vida, e o fogo do Espirito Santo continue a usar sua vida.
    Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
    Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa dar com seu blog.
    Deixo a minha benção e a paz de Jesus.

    ResponderExcluir