.:GESE:.: EMOÇÃO POR ADIANTADO : DIAS DAS MÃES NA PENITENCIÁRIA FEMININA DO PARANÁ.

Adicionado 13/07/2012

terça-feira, 6 de maio de 2014

EMOÇÃO POR ADIANTADO : DIAS DAS MÃES NA PENITENCIÁRIA FEMININA DO PARANÁ.


A tarde desta segunda-feira (05/05) foi de muita emoção para as 36 detentas que são mães e mantêm seus filhos menores de idade na Creche Cantinho Feliz, da Penitenciária Feminina do Paraná (PFP), unidade de regime fechado da Secretaria da Justiça Cidadania e Direitos Humanos (SEJU), localizada em Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba. Elas receberam uma homenagem especial, antecipando o Dia das Mães, comemorado no próximo domingo (11/05).

Pelo Projeto Mês das Mães - Momento Cultural, uma parceria da PFP com o Programa Ciência e Transcendência: Educação, Profissionalização e Inserção Social, da PUC-PR, elas assistiram a uma apresentação do Quarteto de Cordas da universidade, apresentaram um número de canto e tiveram oportunidade de declarar o amor pelos filhos por meio de cartas escritas e lidas por elas mesmas.

Um dos pontos altos da homenagem foi a exposição de fotografias das mães presas e de seus filhos, realizada pelo Grupo Help-Portrait que também integra o projeto da PUC/PR e é coordenado pela jornalista Michele Bravos.


A equipe da Help-Portrait, que faz um trabalho de voluntariado de caráter social voltado a valorização da dignidade humana, entregou a cada uma das mães os retratos, considerados por todas como uma inesquecível lembrança. Michele Bravos explicou que “a intenção é encontrar pessoas em situação de vulnerabilidade ou invisibilidade, interagir e trocar experiências”.

A Help Portrait contou com 12 voluntários de produção de moda, maquiagem e cabelo, além dos fotógrafos, começando aí, segundo Michele, o resgate da autoestima. Alguns dias depois, explica ela, “voltamos para entregar as fotos e fechamos o ciclo do projeto”. 

O movimento Help Portrait existe desde 2009 nos Estados Unidos, e em Curitiba começou em 2012. “Realizamos trabalhos com fotografia nessa busca de resgate social em várias instituições, e aqui na penitenciária foi a primeira vez”. 

A coordenadora do movimento enfatizou que “com a proposta de arrumar o cabelo e fazer a maquiagem, a ideia é que aí já comece o sentimento de valorização”. No caso das mães detidas na PFP, a meta “foi possibilitar que essas mulheres possam perceber que elas são muito mais do que o uniforme, o número que recebeu ao entrar ali ou as ações que as levaram a estar ali”. Além disso, as fotos servem para passar o aconchego entre as mães e seus filhos. A intenção é que elas vejam nas crianças uma motivação para serem diferentes, disse Michele Bravos.


R.M.P., de 31 anos, presa há um ano e cinco meses por possível envolvimento com tráfico de drogas, tem dois filhos. Uma menina de 12 anos que vive com parentes e outro menino que completará um ano de idade na véspera do Dia das Mães e é mantido na Creche. “Me sinto muito feliz de passar esse dia perto do meu filho, mas também triste por não estar perto da outra filha. Esse dia das mães me faz olhar como é importante esse amor que passamos e recebemos pelo fato de nunca desejar isso a eles e para que tenham um bom futuro”.

A diretora da PFP, Rita Costa, enfatizou que foi um trabalho importante porque “com isso tentamos resgatar a autoestima delas, suas identidades como mulheres, através de fotografias artísticas para eternizar este momento com as crianças, num vínculo amoroso que é um dos nossos objetivos”.

O evento contou com a presença de professores e alunos da PUC/PR, entre eles o gestor e a coordenadora do Programa Ciência e Transcendência, Fernando Arns e Cristiane Arns; além de servidores do Departamento de Execução Penal (DEPEN).

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS.....................   Hebreus 13/3

Nenhum comentário:

Postar um comentário