.:GESE:.: PRESIDIO FEMININO DE PIRAQUARA , 340 DETENTAS : ESTA SEMANA OREMOS POR ESTAS MULHERES.

Adicionado 13/07/2012

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

PRESIDIO FEMININO DE PIRAQUARA , 340 DETENTAS : ESTA SEMANA OREMOS POR ESTAS MULHERES.


Localizada em Piraquara, unidade penal de segurança máxima, é destinada às presas provisórias e condenadas.

Inaugurada em 13 de maio de 1970.

Rua das Palmeiras s/n
83301-970 - Piraquara - Paraná
Fone: (41) 3589-8451 - Fax: (41) 3589-8444 e 3589-8466
E-mail: pfp@depen.pr.gov.br

Diretora: Rita de Cassia R. Costa
Vice-Diretor: Daniela Fidalgo de Barros

História e Competências

Desde a criação da primeira penitenciária, em 1909, as mulheres estiveram em ala separada dos homens na Penitenciária do Estado (Ahú), até a década de 60,quando foram transferidas para o centro da cidade na Rua Barão do Rio Branco. Em 1960 iniciam-se as obras para a construção da Penitenciária Feminina, a 5ª unidade penal do Estado, obra esta que ficou paralisada até 1968, sendo concluída e inaugurada em 13 de maio de 1970, no Governo Dr. Paulo Cruz Pimentel.

A obra abrangia uma área de 1.769,44 m², composta de dois pavimentos. Na área térrea localizavam-se 40 celas individuais, com instalações sanitárias completas, além de dez chuveiros, bem como cinco salas destinadas à administração.

No andar superior do prédio havia três salas de trabalho e aprendizagem de artesanato, tecelagem, cabeleireiras e demais trabalhos domésticos, cada uma com 80 metros quadrados. Em ala isolada, no pavimento superior, localizava-se a clausura das Irmãs de Caridade que prestavam serviços nessa unidade, orientando o trabalho e aprendizagem das presas.

Após a inauguração, foram transferidas para o novo presídio várias mulheres detentas, as quais viviam em condições precárias, isoladas em uma enfermaria da Penitenciária Central do Estado, por falta de acomodações.

Caracteriza-se como um estabelecimento penal de segurança máxima, destinado a custódia de presas condenadas. Atualmente ocupa uma área de 3.200 m2, com uma capacidade para 364 presas, mas com uma população carcerária média de 340 presas, sendo que 95% da mão de obra carcerária é ocupada em 8 canteiros de trabalho, em atividades de artesanato, manutenção, confecção de roupas, cartões de Natal, entre outras atividades.

A unidade possui também uma creche para dar atendimento aos filhos das internas, uma vez que as crianças ficavam junto com as mães nas celas, local totalmente impróprio para elas. Em 1983 foi utilizado o espaço da capela para essa finalidade, porém em 1990 foi construído um local próprio para o alojamento, dispondo de uma área de lazer, brinquedos, jardim e playground.


Competências
  • a segurança e a custódia das pessoas do sexo feminino, que se encontram internadas no estabelecimento por decisão judicial e pelo período da respectiva pena, em regime fechado;
  • a segurança e a custódia daquelas que estão sujeitas à efetivação de sentença de pena e medidas de segurança detentivas;
  • a promoção da reintegração social das internas e o zelo pelo seu bem-estar, através da profissionalização, educação, prestação de assistência jurídica, psicológica, social, médica, odontológica, religiosa e material;
  • a prestação de assistência à gestante, parturiente e aos menores de até seis anos, filhos das internas desamparadas, de acordo com o artigo 89 da Lei 7210/84, e com o disposto no artigo 1º, parágrafo único da Lei Estadual nº 9304 de 19/06/90;
  • a prestação de assistência social aos familiares das internas.

Estrutura Física
  • Área do terreno: 31.900m2
  • Área Construída: 4.959,59m2
  • Capacidade de 364 sentenciadas (condenadas)
  • Galerias: 5
  • Celas: 123
  • Solitárias: 6
  • Refeitórios: 1
  • Pátios: 2
  • Visita íntima: 1 quarto
  • Creche: 1 (capacidade 40 crianças)
  • Consultório Médico: 1
  • Consultório Odontológico: 1
  • Sala de Aula: 7
  • Sala para atendimento técnico: 5
  • Capela: 1
  • Lavanderia: 1
  • Biblioteca: 1
  • Cozinha: 1
  • Canteiros de trabalho: 8 (Montagem de componentes elétricos e eletrônicos, artesanato, montagem do kit do Projeto Pintando a Liberdade, manutenção e cozinha).

Diretores
Período
Dr. Arlindo Godoy
1970 a 1972
Dr. Carlo Augusto Hoffmann
1972 a 1973
Dr. Naure Feliz
1973 a 1975
Dra. Eny Carbonar
1975 a 1979
Dra. Maria Helena Vieira
1979 a 1979
Dra. Eny Carbonar
1979 a 1983
Dra. Samira David 
1983 a 1985
Dr. José Deliberador Neto
1985 a 1987
Dra. Maria Cristina Pinto Blanco
1987 a 1988
Dra. Priscila Budeisk 
1988 a 1989
Dra. Miriam Beluco
1989 a 1991
Dra. Vera Lucia Silano D. Santos
1991 a 1995
Dra. Celina Galeb Nitschke
1995 a 1996
Dra. Elizabete Pereira Bettega
1996 a 1999
Dra. Vera Lúcia Silano D. Santos
1999 a 2000
Dra. Celene Pasternak Cardoso
2000 a 2005
Dra. Valderez Camargo da Silva
2005 a 10/08/2010
Salimar Valente Gasparin
10/08/2010 a 03/01/2011
Rita de Cassia R. Costa
 03/01/2011 a

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS , COMO SE ESTIVÉSSEIS PRESOS COM ELES.... Hebreus 13/3a

3 comentários:

  1. Olá, adorei o seu blog, ao ler alguns posts, vi que você é uma pessoa esforçada que só quer falar e ser ouvida na blogosfera, assim como eu. Posso dizer que gostei muito do que li, vc tem um potencial enorme e sei que será um grande blog de fácil entendimento e conteúdo gostoso de ler. Sou Luciana Shirley do blog http://coisasecoisasdalu.blogspot.com.br/ se desejar me visite e siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
  2. imagino como a vida é dura atras das grades, desde ja quero deixar o meu apoio e minha torcida pela reestruturação de vida de todas as detentas. um sabio disse: a maior prisão que existe é a da mente... ...libertem-se...
    Alex Lugli

    ResponderExcluir
  3. imagino como a vida é dura atras das grades, desde ja quero deixar o meu apoio e minha torcida pela reestruturação de vida de todas as detentas. um sabio disse: a maior prisão que existe é a da mente... ...libertem-se...
    Alex Lugli

    ResponderExcluir