.:GESE:.: Maiores tragedias dentro de presidios latinoamericanos

Adicionado 13/07/2012

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Maiores tragedias dentro de presidios latinoamericanos

Centenas de presidiários perderam a vida em rebeliões, revoltas e incêndios registrados nas prisões latino-americanas nos últimos 26 anos, mas a tragédia de Comayagua supera amplamente qualquer um dos precedentes.
Esta é uma relação dos mais graves episódios ocorridos na América Latina que causaram mais de 100 vítimas:.
18 e 19 de junho de 1986.- Ao menos 250 reclusos morrem, segundo números oficiais, em uma rebelião coordenado de presos que pertenciam às organizações terroristas Sendero Luminoso e Tupac Amaru em três penitenciárias de Lima, Santa Bárbara e El Callao.




Os motins ocorreram paralelamente a uma reunião da Internacional Socialista em Lima e como protesto dos detentos que iam ser transferidos para prisões de segurança máxima.
2 de outubro de 1992.- Uma rebelião termina com 111 presos mortos, muitos deles pela polícia, e mais de uma centena feridos na antiga Casa de Detenção de São Paulo, conhecida como Carandiru.

4 de janeiro de 1994.- 120 presidiários morrem e 20 ficam feridos em um motim seguido de incêndio na cadeia venezuelana de Sabaneta, em Maracaibo.

17 de maio de 2004.- 107 reclusos, a maioria ligados à 'Mara Salvatrucha', morrem e 26 ficam feridos em um incêndio registrado no presídio de San Pedro Sula, no norte de Honduras.
Fontes oficiais atribuíram o fogo a um curto-circuito, mas os réus afirmaram que foi provocado pelas autoridades.

7 de março de 2005.- Um incêndio na prisão de Higüey mata 135 pessoas ao leste de Santo Domingo (R. Dominicana), após um confronto entre grupos rivais de presos.
15 de fevereiro de 2012.- Ao menos 355 réus morrem no incêndio da Colônia Agrícola Penal de Comayagua, uma prisão da região central de Honduras, segundo fontes oficiais.
 

,VISTO QUE VOS MESMOS ESTAIS INSTRUIDOS POR DEUS QUE VOS AMEIS UNS AOS OUTROS                                1 TESSALONICENSES 3/9

Nenhum comentário:

Postar um comentário