.:GESE:.: DETENTOS DO PRESÍDIO CPAI E O PROJETO "MÃOS AMIGAS" : A OPORTUNIDADE DE VOLTAR A SOCIEDADE COM DIGNIDADE!!

Adicionado 13/07/2012

sábado, 20 de dezembro de 2014

DETENTOS DO PRESÍDIO CPAI E O PROJETO "MÃOS AMIGAS" : A OPORTUNIDADE DE VOLTAR A SOCIEDADE COM DIGNIDADE!!

O Governo do Estado do Paraná está restaurando o primeiro mirante de Curitiba, o Edifício Belvedere, na Praça João Cândido, no Alto São Francisco. O último ato é a nova pintura. Externamente o trabalho já foi encerrado e, agora, as paredes internas também estão recebendo pintura. O trabalho de limpeza das pichações vai até quarta-feira (17). 

Os pintores são 16 detentos da Colônia Penal Agrícola Industrial de Piraquara. A ação faz parte do Projeto Mãos Amigas e já restaurou mais de 120 prédios públicos em Curitiba e região metropolitana. 

Antes de eles assumirem esse trabalho, o Belvedere passou por uma limpeza interna, coordenada pela Secretaria da Administração e da Previdência. Foram retirados todos os entulhos e realizada uma lavagem das paredes e do piso. Também foram recolocadas as portas que estavam danificadas e trocados os vidros quebrados. 

No final de novembro, a administração restabeleceu ainda o fornecimento de água e de energia, além de instalar alarme monitorado e providenciar vigilância presencial noturna. “O Belvedere é um prédio tombado pelo Patrimônio Cultural do Paraná e, por sua beleza, também um símbolo de Curitiba”, disse a secretária estadual da Administração e da Previdência, Dinorah Botto Portugal Nogara. 

MÃOS AMIGAS - Desde 2012, o Mãos Amigas fez obras em escolas da rede pública de ensino e também em Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes). Além do serviço de pintura, os detentos realizam serviços de jardinagem e limpeza dos terrenos e reparos nas instalações. 

A ressocialização daqueles que estão privados de liberdade é um dos objetivos do Projeto. “Essa é uma importante ação porque busca profissionalizar o preso e reintegrá-lo a sociedade”, disse o agente penitenciário Martinho Santos. 

Para o detento Silvio Márcio Luchtenerg, o projeto é uma oportunidade de trabalhar fora e também possibilitar a remissão da pena. “É uma forma de ressocializar e voltar à sociedade com dignidade e mostrar que somos capazes. Podemos mudar, ser alguém de bem e voltar para a nossa família”, contou Silvio. 

A secretária da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Maria Tereza Uille Gomes, lembrou que este é um dos projetos do Governo do Paraná que buscam a ressocialização e a reinserção do preso no mercado de trabalho. “Eles recebem a capacitação profissional e passam a fazer um trabalho de cidadania, voltado ao interesse público”, ressaltou a secretária. Além de receber R$ 18,10 por dia de trabalho, o preso tem a redução de um dia da pena para cada três dias de trabalho. 

O coordenador do Projeto Mãos Amigas pela Secretaria da Educação, Nabor Bettega Junior, destacou que os serviços prestados pelos presos contribuem para diminuir os gastos com manutenção das escolas. “Além de ajudar os presos em uma ressocialização, ajudamos a fazer a manutenção dos colégios sem custo nenhum para os diretores”, afirmou o coordenador. 

Depois da restauração, o Governo do Estado pretende ceder o uso do prédio histórico para a Academia Paranaense de Letras. No local será criado o observatório da cultura paranaense, possibilitando aos educadores um espaço para a pesquisa dos acervos históricos.

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS....      Hebreus 13/3

Nenhum comentário:

Postar um comentário