.:GESE:.: POPULAÇÃO CARCERÁRIA FEMININA DO PARANÁ CRESCE MAIS QUE A MASCULINA.

Adicionado 13/07/2012

segunda-feira, 30 de junho de 2014

POPULAÇÃO CARCERÁRIA FEMININA DO PARANÁ CRESCE MAIS QUE A MASCULINA.


Nos últimos anos, a população carcerária feminina no Paraná cresceu bem mais que a masculina. E os números do Sistema Integrado de Informações Penitenciárias (InfoPen), do Departamento Penintenciário Nacional do Ministério da Justiça, deixam evidente um triste fato: as mulheres estão cada vez mais se inserindo no submundo do crime. Embora a maioria delas tenha encontrado no tráfico de drogas as portas das celas, as mulheres estão se “aprimorando” na prática criminosa e é crescente o número de condenações femininas por crimes mais requintados e perigosos.

Em sete anos, a população carcerária feminina cresceu 82,89%, contra o crescimento de 66,13% da população de detentos homens. Os dados são de dezembro de 2005 e dezembro de 2012, os últimos disponibilizados InfoPen. Eles mostram que o número total de dententos passou 17.546 para 29.174 e o de detentas, de 1.169 para 2.138.  Ainda que prevaleçam as prisões por tráfico de entorpecentes, com um avanço de 6.477% no período — eram 9 presas em dezembro de 2005, contra as 592 condenadas pelo delito em dezembro de 2012 —, chama a atenção o crescimento de outras condenações.
PENITENCIÁRIA CENTRAL ESTADUAL FEMININA

Em 2005, entre as encarceradas no Paraná, não havia detentas condenadas por crimes de sequestro e cárcere privado, extorsão mediante sequestro, estupro, formação de quadrilha ou bando, corrupção ativa, corrupção passiva, contrabando ou descaminho e crimes de tortura. Já em 2012, há. Só pelo crime de formação de quadrilha ou bando, são 18 presas. Extorsão mediante sequestro (6), estupro (2), tortura (4) e 23 mulheres estão atrás das grades pelos chamados crimes de colarinho branco, como corrupção ativa, corrupção passiva, peculato, contrabando e descaminho.
PENITENCIÁRIA FEMININA PIRAQUARA.
 Além dessa evidência sobre o envolvimento das mulheres em crimes ditos mais pesados, as condenações por homicídio qualificado, por exemplo,  revelam que elas também estão mais violentas. O número de presas por este tipo de delito passou de 2 para 68 (3.330% de avanço).
PASTOR HUGO E IRMÃ DENISE NA PENITENCIÁRIA CENTRAL .
 "Não voltes a pecar, para que não te aconteça coisa pior."                                 JOÃO 5/14

Um comentário:

  1. Bom dia!
    A paz do SENHOR \o/.
    Blog muito bacana, Deus continue abençoando!

    Abraço,
    Lipe Augusto.

    ResponderExcluir