.:GESE:.: EX PRESIDIARIO DO ACRE MOSTRA SEU TALENTO NA ARTE:ENTALHES DE MADEIRA

Adicionado 13/07/2012

sábado, 24 de novembro de 2012

EX PRESIDIARIO DO ACRE MOSTRA SEU TALENTO NA ARTE:ENTALHES DE MADEIRA

Ex-presidiário dá lição de superação e arte

O artesão Marinésio de Souza já passou por maus bocados. Preso por tráfico de drogas, ele esteve no Presídio de Cruzeiro do Sul, onde aprendeu a trabalhar com entalhes de madeira.
Após o cumprimento da pena, Marinésio transformou o aprendizado da penal em uma lição para sua vida e passou a viver do artesanato. Anos depois, o conhecimento lhe colocou de frente com os temas inspirados pela natureza e pela história de Jesus Cristo. As mirações ganharam forma na madeira entalhada, na maioria das vezes reaproveitamento de peças que seriam desperdiçadas pela indústria madeireira.
Em sua loja, instalada sobre esteios esculpidos de mourapiranga na Vila Lagoinha, BR-364, pássaros, peixes, répteis e anfíbios ganham forma através da arte.
Em algumas de suas obras, o artista vai ao limite da perfeição. É o caso do jacaré esculpido em marfim. Pedras, ossos e dentes dão à escultura um aspecto realista com escamas e dentes que saltam à vista. A obra está avaliada em 15 mil reais.
Realistas também são as duas imagens de Jesus Cristo esculpidas em cumaru-de-cheiro em tamanho real, uma delas simbolizando o julgamento e outra, a crucificação.

“Falta reconhecimento”

 Entre as esculturas, chama a atenção uma imagem do senador Jorge Viana, feito na época em que o mesmo ainda era governador do Estado. A escultura foi feita como prova de reconhecimento ao trabalho do governador que implantou no estado o conceito de florestania: a cidadania através da valorização das riquezas e dos saberes regionais. Para Marinésio, contudo, este conceito ficou um pouco esquecido.
“Desde o Governo Binho Marques eu não participo mais da Expoacre. Falta apoio. Na Expoacre o que mais se vê são as mesmas coisas que se vêem nas lojas todos os dias.”
O artista critica ainda a recente iniciativa de trazer designers italianos para o Acre. “A arte e a cultura de cada lugar é diferente. Aqui é outro tipo de arte. Temos que incentivar e valorizar o nosso jeito de fazer arte.”
Marinésio diz que se tivesse o incentivo adequado poderia dar aulas para ensinar aquilo que aprendeu, formando novos artesãos na arte do entalhe em madeira.
“Esta arte não é só para gente jovem, gente idosa ou de qualquer idade também pode aprender”, comenta o ex-presidiário que tirou do seu momento mais difícil, aprendizado e inspiração para trilhar os caminhos da arte.

E o Espírito de Deus o encheu de sabedoria, entendimento, ciência e em todo o lavor,
E para criar invenções, para trabalhar em ouro, e em prata, e em cobre,

E em lapidar de pedras para engastar, e em entalhar madeira, e para trabalhar em toda a obra esmerada.
EXODO 35:31-32-33
 

Um comentário:

  1. Não é de hoje que o Acre produz grandes talentos, não bastasse sua grande contribuição econômica com a produção de borracha, castanha, madeira nobre e gado: Adib Jatene na medicina, Glória Perez na literatura, Carlão no voleibol, José Vasconcelos no humorismo (considerado pelos grandes do humor brasileiro como o mestre dos mestres do humor), maestro João Donato na música (um dos músicos mais conceituados e respeitados no mundo - precursor da bossa nova), Armando Nogueira no jornalismo, Chico Mendes ambientalista, Marina Silva na política, entre outros... Obrigado Acre, por mais este grande exemplo de gente talentosa!

    ResponderExcluir