.:GESE:.: Abril 2014

Adicionado 13/07/2012

segunda-feira, 28 de abril de 2014

PENITENCIÁRIA DE AVARÉ (SP) : 531 DETENTOS , OREMOS POR ELES!!

Penit. I "Dr. Paulo Luciano Campos" de Avaré

Coordenadoria da Região Noroeste

Endereço: Av. Salim Antônio Curiati, 333 Bras

CEP: 18701-230 - Avaré - SP
Fone: (14) 3732 0514  Fax: (14) 3732 0413
População prisional - data: 14/04/14


Capacidade: 882   População: 531

Ficha Técnica
Área construida: 21.279,10 m²

Data de inauguração: 29/08/1970
Regime: fechado


Inaugurada em, 29 de agosto de 1970, pelo governo Abreu Sodré, a Penitenciária “Dr. Paulo Luciano de Campos” de Ava­ré foi orientada segundo os melhores preceitos em prática nas instituições semelhantes do exterior, bem como, nos moldes da Penitenciária do Estado e tinha como principal objetivo desafo­gar as superlotadas cadeias da região.
   Foi concebida para ser uma das maiores e mais moder­nas do país, com quatro pavilhões celulares, subdivididos em dois pavilhões cada um, com 113 celas, para abrigar um total de 452 presidiários, numa área construída de 22 mil metros quadrados. Contava, ainda, com prédios isolados para porta­ria, administração, enfermaria e hospital. Dois pavilhões para oficinas, salas de aula, espaço ecumênico, auditório, cozinha, lavanderia e campo de esportes, com gramado para futebol oficial, cercado com alambrado, iluminado e dotado de uma arquibancada coberta, além de pista de atletismo.

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS .........              Hebreus 13/3

sábado, 26 de abril de 2014

SERVIDORES DA SAÚDE DO DEPEN , FORAM CAPACITADOS PARA TESTES RÁPIDOS DE HIV , SÍFILIS E HEPATITES VIRAIS.

Nesta quinta-feira (24/04), 10 servidores da área da saúde do Departamento de Execução Penal do Paraná (DEPEN), vinculado à Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SEJU), foram capacitados como Executores de Teste Rápido para HIV, Sífilis e Hepatites Virais. A capacitação foi realizada na Escola de Educação em Direitos Humanos (ESEDH), em Curitiba, que contou com a participação de uma médica, duas farmacêuticas e sete enfermeiras. O avanço proporcionado pelo treinamento está focado na realização de exames e do diagnóstico primário dentro das Penitenciárias.

Num primeiro momento, sete unidades penais da Região Metropolitana de Curitiba serão beneficiadas pela iniciativa do Programa de Desenvolvimento Integrado (PDI-SAÚDE/DEPEN), em parceria com a Divisão de DST/AIDS e Hepatites Virais e com a 2º Regional de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde. Ainda neste ano estão previstas capacitações para os servidores da saúde das cidades do interior do Paraná.


O Teste Rápido é uma tecnologia disponibilizada pelo Ministério da Saúde e, no caso de um diagnóstico ser categorizado como positivo, uma amostra de sangue é coletada e enviada ao Laboratório de Análises Clínicas do Complexo Médico Penal (CMP), para exame diagnóstico secundário. Desta forma, a área da saúde do DEPEN ganha eficiência, uma vez que as próprias unidades penais terão competência em realizar o primeiro diagnóstico, reduzindo custos com transporte e armazenamento de amostras, fato que se desdobra na otimização dos fluxos de trabalho do Laboratório do CMP, da Secretaria da Justiça.

A responsável pelo programa de Saúde do DEPEN e coordenadora da capacitação, Renata Torres, pondera que a população privada de liberdade constitui-se um grupo vulnerável para algumas doenças infectocontagiosas e a promoção da atenção em saúde aos apenados é de extrema importância para a garantia da cidadania e dos direitos humanos. “O teste não é obrigatório, mas existe a possibilidade de aumentar a prevalência por causa do aumento da cobertura dos testes diagnósticos”.


Para Brigita Sutil Kisner, enfermeira da Penitenciária Estadual de Piraquara I (PEP I), a importância da capacitação “é levar esse conhecimento depois para os meus técnicos e para a unidade prisional, com a vantagem de estar identificando esse soro positivo o mais rápido possível e, de repente, evitar a contaminação de outras pessoas”. Brigita acrescentou que vai ajudar bastante porque “a gente já identifica na hora e eu também recebi capacitação para passar essa notícia para o preso”. Todo o tratamento é fornecido pela SEJU e dispensado ao preso na própria unidade prisional, salvo em casos mais graves, que é encaminhado ao Complexo Médico Penal.

A técnica da divisão de DST, AIDS e Hepatites Virais da Secretaria da Saúde, Joanilda Leskievicv, disse que a capacitação propicia uma visão exata de como abordar e orientar as pessoas sobre o teste porque as vezes elas não conhecem esse teste e pode ser um susto grande fazer o procedimento. “O teste rápido é um teste diagnóstico, e quando você diagnostica a pessoa, ela já vai ter que ser encaminhada para tratamento, e sabe que é para a vida toda esse acompanhamento. O de Sifilis, Hepatite B e C, a gente trata como teste de triagem, mas mesmo assim ela precisa ser orientada a buscar o acompanhamento e fazer os testes confirmatórios, para poder tratar e seguir em frente com qualidade de vida”.


TECNOLOGIA - A Coordenadora da Capacitação, explica que o Ministério da Saúde prioriza agora o teste rápido, tecnologia nova que ajuda muito, porque em 20 minutos é possível saber o primeiro diagnóstico. Então, diz ela, “você chama o preso no ambulatório, não precisa deslocar o preso para fora da unidade e nem coletar o sangue dele, armazenar e levar para o laboratório que é longe. A gente consegue eliminar etapas com esse teste rápido na mesma unidade. A enfermeira ou medica já faz a devolutiva com o diagnóstico. Se for positivo, aí sim coleta-se uma mostra de sangue e vai para o laboratório”. 

Cada penitenciária tem um ambulatório, como se fosse um pequeno posto de saúde, e as equipes começam a ser capacitadas agora nessa nova tecnologia. “Hoje elas foram capacitadas nos testes rápidos, que são para HIV, Sifilis e Hepatites Virais, que são a B e C. Trata-se de um kit muito semelhante ao utilizado para medir a glicose, com uma agulinha que vai tirar uma gota de sangue, já passa nos reagentes para ver se é positivo ou negativo”, explica Renata Torres.

Ele reforça ainda que a população privada de liberdade é extremamente vulnerável, o HIV agora está sendo combatido como um risco à saúde coletiva e temos que olhar para a população que ainda tem uma alta prevalência, como os indígenas, baixa renda, LGBT e os privados de liberdade. “Por isso é extremamente importante esse combate dentro das penitenciárias”, conclui Renata.


LEMBRAI-VOS DOS PRESOS....                        Hebreus 13/3

quarta-feira, 23 de abril de 2014

ARTESANATO FEITO PELOS DETENTOS DO PRESÍDIO DE SANTA INÊS NO MARANHÃO.

A Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) está realizando diversas ações educacionais, artísticas, de lazer e qualificação profissional nas unidades prisionais de São Luís e do interior do Maranhão. O objetivo é criar um ambiente saudável e fomentar ações que ajudem a reintegração dos detendo à sociedade depois que eles cumprirem suas penas. 



Em Santa Inês, Bacabal, Codó e São Luís os detentos estão realizando produção artesanal, cultivo de hortaliças e participando de capacitação profissional. Em Santa Inês, na Unidade Prisional de Ressocialização (UPR), a Sejap incentiva os internos a confeccionarem peças de artesanato com papéis. Produtos como bolsas, bonés, porta-retratos e cestas de frutas, produzidos por eles, são vendidos, garantindo uma fonte de renda tanto para os detentos quanto para os seus familiares. 

De acordo com o secretário de Justiça , as ações têm por finalidade melhorar a qualidade de vida do preso e de seus familiares. “É fundamental tentar reintegrá-lo à sociedade". Para um interno da UPR de Santa Inês, o artesanato é uma terapia. "Eu gosto de fazer esse tipo de arte e ainda ganho dinheiro. É pouco, mas ajuda. O principal disso tudo é que eu estou recuperando o tempo que perdi lá fora".

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS......                                                                      HEBREUS 13/3

terça-feira, 22 de abril de 2014

INTERNOS DA COLÔNIA PENAL DE PIRAQUARA (PR) , RECEBEM CERTIFICADO DO CURSO DE OPERADOR DE EMPILHADEIRA.

Apenados da Colônia Penal Agroindustrial do Paraná (CPAI), unidade de Regime Semiaberto da Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná (SEJU), receberam no dia 16 de abril Certificados de Conclusão do Curso de Operador de Empilhadeira. O curso, concluído por 12 reeducandos, é do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC) e foi ofertado numa parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT). 


Estiveram presentes na entrega dos certificados, o responsável por Cursos de Qualificação Profissional da CPAI, Nilton Mendes e os responsáveis pelo curso do SENAT, Miscila Zeferino Kruger, Reinaldo Fuzetto e Juliano Augusto dos Passos.

O Curso de Operador de Empilhadeira teve inicio no dia 17.02, com carga-horária de 160 horas e foi desenvolvido na modalidade presencial, nas dependências da CPAI.


Segundo a Coordenação de Educação, Qualificação e Profissionalização de Apenados da SEJU, o SENAT é um importante parceiro, para o Sistema Penitenciário do Paraná, que iniciou sua oferta de cursos relacionados à qualificação na área de transporte, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC).
 

A Coordenação informa que neste ano de 2014, até 31 de março, 287 apenados encontravam-se matriculados em cursos do PRONATEC.


O Pronatec foi criado pelo Governo Federal, em 2011, com o objetivo de ampliar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica e as vagas para o Sistema Penitenciário são demandadas pelo Ministério de Justiça desde 2013.


Para Nilton Mendes, a parceria com o SENAT, assim como os demais ofertantes de cursos pelo PRONATEC é importante para que os apenados se qualifiquem e vislumbrem diferentes expectativas de trabalho ao saírem do sistema penal.


LEMBRAI-VOS DOS PRESOS.....             HEBREUS 13/3

segunda-feira, 21 de abril de 2014

FERIADO PROLONGADO , DIA PROPICIO PARA EVANGELIZAR OS ENCARCERADOS DO BRASIL.


Feriado no país do Brasil na maioria das vezes significa um merecido descanso , viagem para a praia , chácara , ou algum lugar de lazer longe da agitação e barulhos das grandes cidades .
Para o Grupo de Evangelismo Semeadores de Esperança este feriado prolongado de Páscoa e Tiradentes foi aproveitado para levar uma palavra de fé e esperança aos encarcerados do Paraná.
Pastor Hugo Chavez e equipe dedicaram estes dias para se locomoverem até o município de Píraquara , na região metropolitana de Curitiba , com fim de evangelizar três unidades de pessoas privadas da liberdade (Presídio Central feminino , CENSE S.Francisco e Presídio P. Agrícola)        
Na sexta feira ,dia 18 Pastor Hugo e sua esposa Denise estiveram na Penitenciária Central Feminina
onde um grande número de detentas se fez presente no corredor da galeria central , aproveitando um dia de folga das detentas que normalmente estão trabalhando ou fazendo curso dentro da unidade.  A emoção de ver estas mulheres , a maioria jovens . porém muitas idosas , derramando lágrimas de alegría e de esperança ao ouvirem a palavra de Deus é inesquecível.
No final , o momento em que uma grande quantidade de detentas vem a frente para receber Jesus Cristo como o seu salvador ou retornar para seus braços de amor em reconciliação.
No sábado , dia 19 foi a vez do Educandário São Francisco para menores infratores , junto com outra parte da equipe (Pastor Hugo , irmã Denise , irmãos Gilmar e Joelson) entraram na galeria seis ,  a maior da instituição  com 23 adolescentes , e no corredor louvaram e pregaram a palavra de Deus.
Ver estes jovens cheio de vida atraz das grades , nos faz refletir , como que o pecado leva o ser humano ao sofrimento tão cedo.
Ao sair , a satisfação de podermos semear a palavra no coração destes adolescentes.
E finalmente , no dia domingo 20 pastor Hugo e o evangelista Luís estiveram no Presídio Parque Agrícola , para ministrar a Santa Ceia do Senhor Jesus .
Parque Agrícola é um dos presídios com detentos chamados de "seguros" , ao total são aproximadamente duzentos , em regime semi-aberto.
Ali existe uma capela ecumênica onde são realizados os trabalhos religiosos , Ev. Luis louvou a Deus , com a ministração da palavra por parte do pastor Hugo , e logo uma duzia de irmãos detentos , participaram da Ceia do Senhor Jesus Cristo.
As dificuldades enfrentadas pela equipe pela distância ( aproximadamente 80 km , ida e volta) das unidades , muitas das vezes feita de ônibus , é compensada pela operação de Deus em transformação e libertação destas vidas que são desconsideradas pela sociedade.
Pedimos as orações , e possivelmente contribuições , para que possamos continuar com este trabalho de recuperação dos encarcerados.   

     

Pastor Hugo Chavez saíndo da Peniteciária Central Feminina de Piraquara - PR.
Irmã Denise Chavez .
Educandário São Francisco (menores infratores)
Pastor Hugo , Ev. Gilmar e Joelson.
Pastor Hugo e Ev. Luis Carlos.
Presídio Parque Agrícola , regime semi-áberto.

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS........       Hebreus 13/3


LEMBRAI-VOS DOS PRESOS.........     HEBREUS 13/3

OREMOS PELA SUPERLOTADA PENITENCIÁRIA DE AVANHANDAVA (SP) CAPACIDADE 844 , DETENTOS 1804.

Penit. de Avanhandava

Coordenadoria da Região Noroeste

Endereço: Rod.Marechal Rondon - SP 300, Km 475,3
CEP: 16360-000 - Avanhandava - SP
E-mail: tic@pavanhandava.sap.sp.gov.br 
Fone: (18) 3651 1616  Fax: (18) 3651 1616 r 203População prisional - data: 14/04/14
Capacidade: 844   População: 1804
Ficha Técnica
Área construida: 7.454,11 m²
Data de inauguração: 03/06/2003
Regime: fechado

Unidade de Avanhandava sofre com a superlotação

De acordo com a ação da Funap, a Penitenciária Compacta de Avanhandava está superlotada. Atualmente, a unidade, construída para abrigar 844 presos, está com 1.804 homens.  

Segundo advogados que atuam no sistema carcerário, a superlotação gera um clima de tensão entre os presos. "Eles ficam nervosos, uma vez que o espaço interno está reduzido. Não sabemos como nada de pior aconteceu", completou um advogado, que pediu para não ser identificado.


LEMBRAI-VOS DOS PRESOS.......                                                                                      HEBREUS 13/3

domingo, 20 de abril de 2014

DETENTAS DA PENITENCIÁRIA FEMININA DO PARANÁ , CONFECÇIONAM UNIFORMES PARA AGENTES PENITENCIÁRIOS .

A Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná(SEJU) começou a fornecer uniformes aos Agentes Penitenciários do Estado, pelo Projeto de Uniformização, numa iniciativa que conta com a mão de obra de detentas da Penitenciária Feminina do Paraná (PFP), em Piraquara. É a primeira vez na história do Sistema Penitenciário, que os Agentes passam a usar um uniforme completo e a ideia surgiu em 2012 com o objetivo de padronizar e facilitar a identificação desses profissionais. 

Estão envolvidas na confecção das roupas 27 presas, capacitadas por meio de uma parceria com o Serviço Nacional da Indústria(SENAI) que também prestou orientação quanto aos equipamentos necessários para a produção. Elas realizam corte, costura e serigrafia, num canteiro de trabalho implantado dentro do estabelecimento penal. Na Penitenciária Feminina, também são confeccionadas, há tempo, camisetas para Agentes de Cadeia Pública e de Monitoramento, bem como uniformes para os presos.

Nessa parceria, a Secretaria de Estado disponibiliza recursos para a compra do maquinário e materiais necessários, além do pagamento das apenadas. Num primeiro momento, estão em fase de produção 700 kits de uniformes contendo calça, camiseta, colete e jaqueta, sendo que 120 Agentes Penitenciários já receberam o uniforme. 


Os primeiros Agentes, tanto as mulheres quanto os homens, que já estão uniformizados são os da Penitenciária Feminina e os próximos serão os que trabalham nas outras duas unidades femininas a Penitenciária Central do Estado Feminina(PCEF) e o Centro de Regime Semiaberto Feminino de Curitiba(CRAF). A meta é que até junho do ano que vem todos os Agentes Penitenciários que trabalham nas 33 unidades prisionais da SEJU estejam usando o uniforme. 

Pelo trabalho, as apenadas podem receber mensalmente até 3/4 do salário mínimo. Desse valor, 80% pode ser destinado à família e 20% é depositado em uma conta poupança, que só poderá ser retirado quando a apenada ganhar liberdade. Além desse recurso e da profissionalização, a presa tem o benefício da remição de um dia da pena para cada três dias trabalhados.

Segundo a diretora da Penitenciária Feminina, Rita de Cássia Naumann a produção e a produtividade nesse canteiro de trabalho está superando as expectativas pelo interesse e engajamento das apenadas e pela satisfação dos Agentes em receberem o uniforme. 


O chefe da Divisão de Produção do Departamento de Execução Penal, Boanerges Silvestre Boeno Filho, que também está a frente do Projeto de Uniformização dos Agentes Penitenciários, detalhou que estão sendo adquiridos equipamentos de serigrafia, para serem distribuídos as demais unidades prisionais do Paraná que fabricam uniformes também para os presos, além de camisetas para Agentes de Cadeia Pública e Agentes de Monitoramento”. 

TRABALHO – Hoje existem 5.041 presos do Sistema Penitenciário trabalhando em todo o Paraná. São 2.536 presos em atividade em canteiros implantados em cooperação empresas públicas e privadas, 1.625 em canteiros próprios e 880 que atuam em projetos de artesanato.


Nos canteiros cooperados, internos ou externos, o apenado recebe remuneração de 3/4 do salário mínimo. Os presos que trabalham em canteiros próprios atuam em serviços de manutenção de equipamentos, operadores de máquinas, entre outros, recebendo um pecúlio.

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS....    Hebreus 13/3

terça-feira, 15 de abril de 2014

MISIONES EN EL PAIS DEL PARAGUAY!! JAHEKÃ TUPÃ ÑANDEJARAPE IKATUAJA JATOPA . Isaías 55/6



O país do Paraguay , historicamente sofrido , hoje acorda para o Senhor Jesus Cristo de uma forma maravilhosa .
Por detrás do país conhecido por "sacoleiros e comerciantes brasileiros", devido aos seus produtos de baixo valor , existe um povo sedento pela palavra de Deus.
Em nossas passagens missionárias por diferentes países da América , nunca nos deparamos com tamanho contraste em uma cidade como a qual encontramos na cidade de "Salto del Guairá" , no país do Paraguay.
Na avenida principal , modernos shopping , sem a presença na rua dos famosos camelos da Cidade del Este , ou os insistentes vendedores ambulantes , fazem desta avenida principal , um lugar de fácil trafego de veículos e pedestres.
Novos e modernos shopping estão sendo construídos , e famílias provenientes , principalmente do estado do Paraná andam tranquilamente , com total segurança pelo comércio a procura de perfumes importados e eletro eletrônicos .
Porém o que estas pessoas não sabem , é que algumas centenas de metros de distância , se acaba o asfalto , e as ruas são de terra vermelha quase intransitável  para veículos , onde crianças de pés descalços brincam na maior tranquilidade andando nas suas bicicletas .
O perigo de assalto é quase nulo , e no tempo que ficamos na cidade , não vimos ninguém consumindo drogas.
Este povo humilde de variadas línguas , na mesma  hora que fala espanhol , passa para o português ou o guarani , sedentos de Deus.
A convite do Pastor Nelson Façanha , estivemos ali para falar do grande amor de Deus , e contar nossas experiências de evangelismo nos presídios do Brasil.
Juntamente com a minha esposa irmã Denise , e o Pastor Edson (ex-presidiário) , nos alegramos com o Pastor Nelson , família e os amados e humildes hermanos paraguayos .
Levamos uma mensagem bíblica de encorajamento , enquanto a irmã Denise louvou ao Senhor e o Pastor Edson contou seu maravilhoso testemunho .
Pastor Hugo Chavez pregando a palavra de Deus.
Pedimos oração em favor do país do Paraguay , assim como em favor do Pastor Nelson e família, que largaram o conforto da cidade de Curitiba , para morar de forma extremamente humilde , a fim de levar a palavra de Deus para esta cidade do país do Paraguay.
Pastor Nelson sua esposa Tatiane ,Pastor Hugo e sua esposa Denise.
Pastores : Nelson , Hugo e Edson.
Pastor Edson contando como Deus mudou a sua vida depois de passar 15 anos no presídio.
Irmã Denise louvando a Deus.
Momento de oração pelo povo paraguayo.
Coralzinho das crianças.
Pastor Nelson , irmã Tatiane e seu filho Miguel com banner do "GESE"
Pastor Nelson pastoreia esta igreja.
Pastor Nelson , sua esposa Tatiane e seus filhos Natália , Misael e Miguel.OREMOS POR ELES!!
Pastor Hugo Chavez orando nos lares.
Centro da cidade de Salto del Guairá
Oremos por esta cidade,
OREMOS POR ESTA NACIÓN!!
HE´INDEVE HESU ... OJEROVIAVA CHEREHE OMANORAMO  JEPE OIKOVETA .
                                                 JOÃO 11/25

SEGUNDA "APAC" (presídio sem agente penitenciário) DO PARANÁ É IMPLANTADO EM PATO BRANCO.

O Paraná passa a contar com uma nova Associação de Proteção e Assistência aos Condenados-APAC, segunda a ser implantada no Estado, localizada em Pato Branco, na região sudoeste. O convênio entre o Governo do Estado e a APAC, no valor de R$ 419.944,00, para o funcionamento da entidade, foi assinado pelo governador Beto Richa, nesta semana, para um período de 12 meses, podendo ser prorrogado por mais um ano. 

A APAC atua como entidade auxiliar dos Poderes Judiciário e Executivo e está amparada na Constituição Federal. Aplica um método de Execução Penal, que confia na recuperação do preso através dos doze elementos para sua reintegração social: participação da sociedade, recuperando auxiliando o recuperando, trabalho, religião, assistência jurídica, assistência à saúde, valorização humana, família, voluntário e sua formação, Centro de Reintegração Social, mérito, e jornada de libertação com Cristo. 

Os presos que entram numa APAC são oriundos das unidades penais da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná e sua integração na Associação é voluntária, após análise do perfil desses apenados, que ficam sob tutela do Poder Judiciário.

A primeira APAC do Paraná foi implementada em setembro de 2012, no município de Barracão, sudoeste do Estado e atende hoje 40 reeducandos que cumprem pena nos regimes semiaberto e fechado.

A APAC de Pato Branco foi criada em 31 de agosto de 2001, sendo a primeira no Paraná, mas começando agora a aplicar efetivamente a metologia apaqueana. É presidida por Carmelina Aque Lora, integrante do Conselho da Comunidade do município e uma das primeiras pessoas a iniciar o movimento para implantação da associação. 

Mobilização- Situada na Rua Marília, s/nº, no bairro Vila Verde, a sede da APAC é fruto do esforço da sociedade civil organizada que promoveu atividades junto à comunidade para arrecadar recursos, realizando eventos sociais, que resultaram na construção de uma estrutura para abrigar 20 reeducandos. As obras da sede ainda estão sendo finalizadas com auxílio da Prefeitura Municipal e, principalmente, do Conselho da Comunidade, que disponibilizou recursos para a construção da guarita e outras dependências, como salas de revista masculina e feminina, bem como aquisição de mobiliário. 

A área total cedida pela Prefeitura Municipal de Pato Branco para a sede da APAC é de 2.980m2 e terá, também, um outro alojamento para mais 20 recuperandos do regime semiaberto, área administrativa, salas multiuso e instalações para o regime fechado. 

A efetivação da APAC de Pato Branco contou, também, com um esforço concentrado da secretária da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná, Maria Tereza Uille Gomes, de servidores do Grupo Orçamentário Setorial, bem como do Núcleo Jurídico Administrativo da pasta. 

A comunidade patobranquense estava ansiosa por firmar este convênio há vários anos. “Agora, na gestão da secretária Maria Tereza, foi possível viabilizar a implantação da metodologia apaqueana, criada há mais de 40 anos em São José dos Campos/SP e muito difundida no estado de Minas Gerais e em outros 23 países que reproduziram a metodologia genuinamente brasileira”, afirmam os servidores do Grupo Orçamentário da SEJU que estiveram a frente dos trabalhos para assinatura do convênio. 

Método- A APAC é uma unidade penal diferenciada, que funciona sem polícia civil, militar ou agentes penitenciários, com a metodologia dos 12 elementos. Fundamentalmente, os serviços técnicos de assistência não são remunerados, e sim prestados por voluntários de vários segmentos da sociedade como a Pastoral Carcerária, representações religiosas, profissionais das áreas médica, odontológica, jurídica e de assistência social, bem como artistas, entre outros, que colocam seus serviços à disposição da APAC a custo zero. 

Cabe destacar, ainda, na metodologia, o alto nível de recuperação, em média de 90%, além do custo per capita do reeducando que gira em torno de 1/3 do valor do sistema prisional tradicional. A rotina diária, com atividades previamente programadas, proporciona a ocupação da mente dos reeducandos, evitando a ociosidade, num espaço com atividade religiosa, de laborterapia, serviços externos, palestras, cursos profissionalizantes e valorização humana. Esses diferenciais permitem que o recuperando possa agregar novos valores, num ambiente totalmente propício a sua recuperação. 

Histórico- O método existe desde 1972 e os trabalhos iniciaram em São José dos Campos/SP, por iniciativa do advogado Mário Ottononi. O Estado de Minas Gerais começou os trabalhos em 1980, na cidade de Itaúna, e em 1991 passou a administrar o regime aberto e fiscalizar as penas substitutivas. A partir de 1997, os regimes fechados e semiabertos adotaram o método APAC. Outras prisões no Brasil e no exterior também adotaram o método APAC, tornando-se modelo e atraindo visitantes de todo o mundo. Atualmente, 17 estados brasileiros e 23 países adotam a metodologia APAC.

NÃO PRESUMAS DO DIA DE AMANHÃ , PORQUE NÃO SABES O QUE ELE TRARÁ.      Provérbios 27/1

segunda-feira, 14 de abril de 2014

PENITENCIÁRIA DE ASSIS (SP) OREMOS PELOS 1200 DETENTOS.


Assis possui um Presídio em regime fechado e o Anexo de Detenção Provisória, e assim como as cidades da região, está com a população prisional acima de sua capacidade. O levantamento feito junto a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) aponta que o centro prisional local abriga atualmente mais de 50% de sua capacidade.


Segundo o órgão governamental que atualizou a população prisional no último dia 31 de julho, o complexo da Penitenciária possui 762 vagas, no entanto 1.225 presos se espremem em suas celas. Já, o ADP com capacidade para 272 detentos, possui uma população de 418. Ou seja, a população carcerária é 58,89% maior do que o limite máximo comportado.



Penit. de Assis

Coordenadoria da Região Oeste

Endereço: Rodovia Clementino Alves de Souza, km 02 - Zona Rural 
CEP: 19812-900 - Caixa Postal 101 - Assis - SP
E-mail: passis@passis.sap.sp.gov.br 
Fone: (18) 3322-7069  Fax: (18) 3322-7962
População prisional - data: 07/04/14
Capacidade: 829   População: 1278
Anexo de Detenção Provisória
Capacidade: 288   População: 532
Ficha Técnica
Área construida: 7.316,85 m²
Data de inauguração: 07/11/1991
Regime: fechado - preso provisório

 PASTOR HUGO CHAVEZ TRABALHA RECUPERANDO PRESIDIÁRIOS , MEDIANTE A PALAVRA DE DEUS !!









AJUDE O PASTOR HUGO A CONTINUAR COM ESTA OBRA !!  Caixa E. Federal Agencia 3379 Operação 001 Conta corrente 224330-0

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS..     Hebreus 13/3.